Diário d'Inês

domingo, março 04, 2012

Felicidade

Querido diário, 

Um dia, perdida nos meus pensamentos, reflecti sobre o que é estar com alguém. Aquela pessoa que queremos do nosso lado até a vida nos levar. Quero acreditar em alma gémea. Até pode não existir ou se existir podemos não a encontrar.
Existe uma altura da nossa vida que devemos pensar, se realmente vale a pena compartilhar toda a nossa vida com alguém, sem ter a certeza que será aquela pessoa. Sem saber se somos realmente felizes. Nunca se tem certeza, mas há algo cá dentro que nos transmite. A nossa entrega a alguém deverá ser tal que irá superar a solidão que iríamos sentir de estarmos sozinhos? Valerá a pena partilhar a nossa vida, os nossos pequenos prazeres com alguém por quem temos dúvidas de ser a pessoa certa? Há que ter realmente certezas. Seja lá elas quais forem. Cada um faz as suas escolhas. São essas que nos levam por caminhos diferentes.
Mais uma vez, não vou falar em amor. O amor está para além das palavras que aqui poderia escrever. O amor é uma coisa, a nossa felicidade é outra. Não há preço nem medida certa para ser feliz. O amor não nos deve deixar infelizes.
Quero falar apenas de partilhar a nossa vida com alguém. Falar de ser feliz. A vida pode passar por nós. Não vale a pena ser infeliz. Não temos de obrigatoriamente de ter alguém. Apesar de todos precisarmos de alguém. Às vezes não é isso que nos faz feliz e poderá fazer exactamente o contrário. Há que aprender a ser feliz sozinho. Apenas assim conseguimos a felicidade com o próximo. Amar a nossa vida é o caminho certo para a felicidade.
Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena, mas apesar de ter a alma grande, não são todas as pessoas que tocaram nela. Não devemos ficar com alguém que apenas toque no nosso corpo e não alcance a nossa alma. Não devemos ficar com alguém que nos faz triste a maioria do tempo. Tenha a pessoa culpa disso ou não. Não podemos culpar ninguém pelo que sentimos. O sentimento é apenas e unicamente nosso. Devemos procurar a felicidade dentro de nós. Ninguém o fará se não nós próprios.
Às vezes há que parar para pensar. Não deixar a vida andar por comodismo. A vida não pode passar por nós. Nós é que temos de passar pela vida. Usufruir de tudo o que nos dá, nas quantidades certas. Quantidades difíceis de encontrar por vezes. É tudo uma questão de equilíbrio do ser humano. Devemos equilibrar-nos a nós próprios. E no meio disto tudo, devemos ser livres. Devemos ser livres para saber o que realmente sentimos e procuramos. Devemos ser livres para afluir o nosso verdadeiro querer, o nosso verdadeiro desejo. E é essa vontade que nos fará feliz.

Saudações felizes ;)


Sem comentários:

Enviar um comentário