Diário d'Inês

sábado, setembro 01, 2018

Reflexões


Serei assim, eterna revoltada, sonhadora, de emoções fortes, de indiferença e talvez diferente e incompreendida.

Serei assim, pessoa que acha que uma atitude vale mais que mil palavras. Que a força que as palavras levam depende daquele que as lê. As palavras e a escrita são meio de comunicação tanto verdadeiro como falseado, tanto usado para o bem, como para o mal. Transplantado erroneamente, por cada um interpretar á sua maneira, até mesmo aquilo que eu não sei dizer. Eloquência de escritor, que quanto mais se escreve menos se diz, quanto mais nos definimos mais nos perdemos.

Indolente de mim, continuo a acreditar que existem seres humanos bons, embora sejam poucos os que tive prazer de conhecer.

Tenho a força de um furacão quando gosto de alguém, movo montanhas sem pedir algo em troca, sem querer qualquer retorno. Mas tão bem sei que a única expetativa que ainda consigo criar é que me tratem com deferência. Por aquilo que sou, por um ser diferente, por saber que o mereço. Por saber que todos merecemos. Irreverência a nossa, não podemos culpar os nossos sentimentos, mas somos livres de escolher como tratar o próximo.

O problema é que o respeito é um sentimento que poucos sentem.

O respeito pelos outros é tão variável quanto o nosso ser, quanto a nossa personalidade. Demonstra tanto de nós. O mundo seria um lugar melhor se existissem injeções de respeito distribuídas gratuitamente. Por não existirem verdades absolutas, é nosso dever de entender, que a minha realidade não é a do próximo e é tudo uma questão de perspetiva.

Compaixão.

Os sentimentos são só nossos e seguimos a vida caminhando para controlar as nossas emoções desde cedo. Nascemos emocionalmente desequilibrados onde o choro é a nossa palavra de comunicação. Aprendes que não deves chorar. E aprendes mais tarde que chorar faz bem. E, que também faz mal. Esta inconcordância faz de nós seres em crescimento, permitindo escolher o que devemos sentir. Não! Permitindo o que fazer em relação ao que sentimos. A implantar maturidade emocional. O problema é que eliminar tudo o que de mau se sente semeia outras consequências. Deixo uma a regar, a indiferença.

Emoções.

Somos seres em crescimento, felizes aqueles que nos acompanham nesta constante mudança. Eles próprios mudam. O tempo tem o peso que tu lhe deres, a idade fruto do que vives. As tuas companhias fruto do teu trabalho, do que és e do que serás. Dá trabalho ter pessoas na nossa vida. E dá ainda mais trabalho continuarem nela. Mesmo que trabalho não seja a palavra certa. No final, são poucas aquelas que se lembram de ti.

“Vi isto, lembrei-me de ti”

É das frases mais importantes que podemos ouvir. Não apenas porque a pessoa se lembra de ti, como sabe aquilo que tu gostas. Simplesmente porque o partilhaste com ela. E pode continuar a saber o que descobres que gostas e não gostas, se o continares a partilhar. O que gostas hoje, não é o que gostas amanhã. Desprezando o que ainda não descobriste que gostas. A a tua atitude hoje, não é a tua atitude amanhã. O que és hoje, não serás amanhã. E o que escrevo hoje…

Nas contas da vida, difícil não é permanecer na vida de alguém, difícil é acompanhar. Difícil é ser presente nas nossas vidas. A vida de todos os dias. Difícil respeitar, saber perdoar. Difícil é estar. A presença mesmo ausentes. Ontem, hoje e amanhã. Difícil é dar o ombro para sorrir hoje e dar novamente o ombro para chorar amanhã. Querer saber como estás, sempre. É repetir vezes sem conta o que precisas ouvir. Difícil é permanecer na vida de alguém sabendo de todas as imperfeições.

Aos que são presentes.

E aos que vêem a vida de forma diferente.

Continuo a acreditar, continuo sempre a acreditar.

Tenho amor que nunca mais acaba.

[obrigada]

           A imagem pode conter: pessoas sentadas, oceano, céu, ar livre e água



domingo, dezembro 24, 2017

O presente és tu

A presença é ser presente. É o presente que todos desejamos. É o mais forte, mais caloroso, ternuroso. A presença de ti, por ti, para os teus. A tua presença. O presente de todos. Dos mais pobres, dos mais ricos, dos crentes, não crentes, dos cépticos, dos agnósticos, dos religiosos, dos ateus. A presença é o presente. O presente de um abraço, de um carinho, de uma palavra. O presente de um sorriso, de um beijo. O presente de um desejo. O teu melhor presente. O nosso melhor presente. A presença. É o presente de todos os dias.
Feliz Natal. 
Inês Figueiredo

quarta-feira, dezembro 20, 2017

Insónias

Há insónias de corações de amor. Insónias de sono vazio e coração cheio. Insónias para que te escreva. Insónia para que te grite, que te queira. Tanto me fervo nesta insónia de ti. Insónia de desejo. Tanto grito sem me ouvir, tanto escrevo sem te ler. Tanto sinto o bater do meu coração. Queria tanto te ouvir e queria tanto o teu toque sentir. Insónia vazia, fria. O telemóvel não toca. Tu não me tocas. Tanta existe esta insónia em mim com vontade de ti. Loucura de nós. Só os loucos têm a coragem de sentir. Tanto te sinto. Louca de ti, por ti, em ti. Não há pele como a tua. Não há fervor como o teu. Toque quente, ardente. Desejo. Beijo. Lençóis perdidos, não esquecidos. Gemidos. Um beijo vencido. Insónia de loucura. Insónias nossas. Que sejam as tuas. Insónias cruas. Só o que nos mata de desejo nos faz sentir vivos. Insónias.

Foto de Diário d'Inês.

quarta-feira, dezembro 13, 2017

Um mundo teu


Nem todos os mundos têm o teu nome, sabias? Sabias, que por mais que o mundo gire sem sentido, que te tenhas perdido, existe um mundo só teu. Existe um mundo teu, com o teu nome, a teu prazer, para o vencer. Mundo talvez escondido, mundo onde pertences, mundo teu. O mundo onde és tu, mundo que te entende, que te prende, onde carregas quem trazes no peito. Nem todos os mundos têm o teu nome, sabias? Rasga o mapa, acerta a bússola, corre por aí, encontra o que vem daí. Sabias, que os outros mundos não escrevem o teu nome? Muitos querem que passes por lá, poucos querem que lá fiques. Muitos querem que passes por lá, mas poucos têm o teu nome. Em que mundo pertences tu? Num mundo longínquo, que por mais órbita que seja completa, não completam o meu ser. Completas, tu. Amas, tu. Sabes, tu. Queres, tu. Sabes, sabes mesmo quem és. És tu, no teu mundo, antes de seres o mundo de alguém. Sabias, sabias mesmo que o que te faz girar é a força do teu vencer, a esperança de viver e a vontade de querer. Nem todos os mundos têm o teu nome, sabias? Sei, sei que não têm. Não querem, não lutam, não ficam. Para que mundo queres ir? Para um mundo meu, tão singelamente, teu.


                                                     (fotografia em Donner Lake, CA junho 2015)

domingo, julho 02, 2017

Verdade

Querido diário,

Todos os sábados às 21h, um texto meu, na 7HINK!

"É isto, é isto que tu me fazes sentir.
O meu peito a arder, as minhas pernas a tremer.
É isto, este calor que vem de dentro, o frio na barriga.
É isto, é esta verdade.
Esta verdade, cheia de felicidade quando te vejo. 
É isto, é tão isto.
As borboletas na barriga, o teu sorriso.
O meu sorriso verdade, o meu sorriso estúpido.
Verdade de tanta felicidade.
O teu sorriso!
Abraço quente.
Verdade que se sente, tão intensamente.
Escrevo e sorrio.
Dás-me um calafrio.
É para ser, fazes acontecer.
Fazes drama, levas-me para a cama.
Intensamente, verdade que se sente.
Sinto-me estúpida. Sinto-me tão estúpida.
E é tão verdade.
Tu és a minha felicidade.
É isto, é que é mesmo isto.
Tão verdade.


#verdade #7hink



terça-feira, janeiro 31, 2017

Beija-me meu amor

Beija-me meu amor,
Beija-me à chuva.
Beijo frio, ao vento que me alento.

Beija-me,
Com olhar pecado,
Beijo perdão, que toca no coração.

Beija-me meu amor,
Esquece as horas,
Beijo desassossegado, tão esperado.

Beija-me,
Apaga as brigas,
Beijo de paz, prazer que a gente faz.

Beija-me meu amor,
Discute com beijo,
Beijo demente, beijo que se sente.

Beija-me,
Fala ao ouvido,
Beijo incerto, lábio inquieto.

Beija-me hoje meu amor,
Beija-me hoje porque somos instantes
Quero o instante do teu beijo, a matar o meu desejo.

domingo, janeiro 15, 2017

Amor escondido

Querido diário,

Vida correria, caminhos discretos, tempos incertos. Coração desassossegado em contratempo acelerado. Tempo e caminhos cruzados, pessoas que entram e saem do nosso planisfério pessoal. Coração cansado da agitação. Coração com saudade. Coração em sobressalto, coração meu. Coração onde guardo abraços, amassos e beijos. Onde esqueci outros, coração que apagou o que não importou. Guardo feridas, cicatrizes, marcas vencidas, guerras perdidas. Guardo noites quentes, noites incertas. Paixões ardentes, de morte fervente. Guardo o que sinto, não o que minto. Vida minha, vida vencida, vida do meu coração. Guardo um amor escondido. Amor secreto, amor distante. Um beijo apaixonante. Um amor que quero guardar, amor que não quero curar. Amor que chorei pelo beijo com que fiquei. Esses tantos outros beijos que ficaram por dar. Amor de desejo, amor de pele, amor ardente com esta vontade que fica dormente. Amor que calo, amor silêncio. Um amor que demorou e amor que não despertou. Amor proibido, amor meu. Guardo e vivo tantos outros, causa do teu coração não me viver. Causa de não poder ter. E continuo, com este amor que minto. Este amor meu, escondido, tão teu.

Vive-te.