Diário d'Inês

domingo, dezembro 24, 2017

O presente és tu

A presença é ser presente. É o presente que todos desejamos. É o mais forte, mais caloroso, ternuroso. A presença de ti, por ti, para os teus. A tua presença. O presente de todos. Dos mais pobres, dos mais ricos, dos crentes, não crentes, dos cépticos, dos agnósticos, dos religiosos, dos ateus. A presença é o presente. O presente de um abraço, de um carinho, de uma palavra. O presente de um sorriso, de um beijo. O presente de um desejo. O teu melhor presente. O nosso melhor presente. A presença. É o presente de todos os dias.
Feliz Natal. 
Inês Figueiredo

quarta-feira, dezembro 20, 2017

Insónias

Há insónias de corações de amor. Insónias de sono vazio e coração cheio. Insónias para que te escreva. Insónia para que te grite, que te queira. Tanto me fervo nesta insónia de ti. Insónia de desejo. Tanto grito sem me ouvir, tanto escrevo sem te ler. Tanto sinto o bater do meu coração. Queria tanto te ouvir e queria tanto o teu toque sentir. Insónia vazia, fria. O telemóvel não toca. Tu não me tocas. Tanta existe esta insónia em mim com vontade de ti. Loucura de nós. Só os loucos têm a coragem de sentir. Tanto te sinto. Louca de ti, por ti, em ti. Não há pele como a tua. Não há fervor como o teu. Toque quente, ardente. Desejo. Beijo. Lençóis perdidos, não esquecidos. Gemidos. Um beijo vencido. Insónia de loucura. Insónias nossas. Que sejam as tuas. Insónias cruas. Só o que nos mata de desejo nos faz sentir vivos. Insónias.

Foto de Diário d'Inês.

quarta-feira, dezembro 13, 2017

Um mundo teu


Nem todos os mundos têm o teu nome, sabias? Sabias, que por mais que o mundo gire sem sentido, que te tenhas perdido, existe um mundo só teu. Existe um mundo teu, com o teu nome, a teu prazer, para o vencer. Mundo talvez escondido, mundo onde pertences, mundo teu. O mundo onde és tu, mundo que te entende, que te prende, onde carregas quem trazes no peito. Nem todos os mundos têm o teu nome, sabias? Rasga o mapa, acerta a bússola, corre por aí, encontra o que vem daí. Sabias, que os outros mundos não escrevem o teu nome? Muitos querem que passes por lá, poucos querem que lá fiques. Muitos querem que passes por lá, mas poucos têm o teu nome. Em que mundo pertences tu? Num mundo longínquo, que por mais órbita que seja completa, não completam o meu ser. Completas, tu. Amas, tu. Sabes, tu. Queres, tu. Sabes, sabes mesmo quem és. És tu, no teu mundo, antes de seres o mundo de alguém. Sabias, sabias mesmo que o que te faz girar é a força do teu vencer, a esperança de viver e a vontade de querer. Nem todos os mundos têm o teu nome, sabias? Sei, sei que não têm. Não querem, não lutam, não ficam. Para que mundo queres ir? Para um mundo meu, tão singelamente, teu.


                                                     (fotografia em Donner Lake, CA junho 2015)

domingo, julho 02, 2017

Verdade

Querido diário,

Todos os sábados às 21h, um texto meu, na 7HINK!

"É isto, é isto que tu me fazes sentir.
O meu peito a arder, as minhas pernas a tremer.
É isto, este calor que vem de dentro, o frio na barriga.
É isto, é esta verdade.
Esta verdade, cheia de felicidade quando te vejo. 
É isto, é tão isto.
As borboletas na barriga, o teu sorriso.
O meu sorriso verdade, o meu sorriso estúpido.
Verdade de tanta felicidade.
O teu sorriso!
Abraço quente.
Verdade que se sente, tão intensamente.
Escrevo e sorrio.
Dás-me um calafrio.
É para ser, fazes acontecer.
Fazes drama, levas-me para a cama.
Intensamente, verdade que se sente.
Sinto-me estúpida. Sinto-me tão estúpida.
E é tão verdade.
Tu és a minha felicidade.
É isto, é que é mesmo isto.
Tão verdade.


#verdade #7hink



terça-feira, janeiro 31, 2017

Beija-me meu amor

Beija-me meu amor,
Beija-me à chuva.
Beijo frio, ao vento que me alento.

Beija-me,
Com olhar pecado,
Beijo perdão, que toca no coração.

Beija-me meu amor,
Esquece as horas,
Beijo desassossegado, tão esperado.

Beija-me,
Apaga as brigas,
Beijo de paz, prazer que a gente faz.

Beija-me meu amor,
Discute com beijo,
Beijo demente, beijo que se sente.

Beija-me,
Fala ao ouvido,
Beijo incerto, lábio inquieto.

Beija-me hoje meu amor,
Beija-me hoje porque somos instantes
Quero o instante do teu beijo, a matar o meu desejo.

domingo, janeiro 15, 2017

Amor escondido

Querido diário,

Vida correria, caminhos discretos, tempos incertos. Coração desassossegado em contratempo acelerado. Tempo e caminhos cruzados, pessoas que entram e saem do nosso planisfério pessoal. Coração cansado da agitação. Coração com saudade. Coração em sobressalto, coração meu. Coração onde guardo abraços, amassos e beijos. Onde esqueci outros, coração que apagou o que não importou. Guardo feridas, cicatrizes, marcas vencidas, guerras perdidas. Guardo noites quentes, noites incertas. Paixões ardentes, de morte fervente. Guardo o que sinto, não o que minto. Vida minha, vida vencida, vida do meu coração. Guardo um amor escondido. Amor secreto, amor distante. Um beijo apaixonante. Um amor que quero guardar, amor que não quero curar. Amor que chorei pelo beijo com que fiquei. Esses tantos outros beijos que ficaram por dar. Amor de desejo, amor de pele, amor ardente com esta vontade que fica dormente. Amor que calo, amor silêncio. Um amor que demorou e amor que não despertou. Amor proibido, amor meu. Guardo e vivo tantos outros, causa do teu coração não me viver. Causa de não poder ter. E continuo, com este amor que minto. Este amor meu, escondido, tão teu.

Vive-te.