Diário d'Inês

quarta-feira, maio 28, 2014

C'

Querido diário,

Na semana passada, despedi-me de mais uma amiga que foi à procura de um sonho fora do nosso pequeno País. Na verdade, não me despedi e desta vez não por não gostar de despedidas, mas porque me troquei nos dias numa mistura de dias que ela pretendia viajar. Mas sim, não gosto de despedidas, mas desta vez, tinha ido, mesmo às seis da manhã. Queria ter deixado, pelo menos "Boa Sorte". Como não desejei, aqui ficam coisas que já dissemos e ficam na memória, aqui ficam umas palavras soltas, para finalizar a minha "não despedida".

A nossa despedida foi em festa, nem poderia ser de outra forma. Numa vila do Alentejo, onde já há muito estava para ir e desta vez não poderia deixar adiar o convite, tive de conhecer antes de a ver partir para a "terra das oportunidades". Ela não gosta muito destas coisas e de lamechices... aliás, na verdade não sei se será não gostar, porque afinal, lá no fundo, todos gostamos. E às vezes quem é mais frio consegue ter um coração maior, simplesmente não precisa de o abrir para o mundo inteiro.
Bom, eu e ela tivemos algumas desavenças, outras alturas mais afastadas, mas o interessante é que foi das pessoas que sempre teve ao meu lado quando precisei. Sempre teve ao meu lado tivesse ou não razão. Nem que fosse para discutirmos uma com a outra ou dizermos mal, o que realmente importa é que no final, bem ou mal, estamos ali e depois... depois há muitos que não estão. Não posso negar, que apesar de tudo, sempre gostei muito dela, tenho um grande orgulho por ser uma lutadora e saber sempre o que quer da sua vida. Hoje em dia, não há tantas pessoas assim. Existem sonhos, mas não existem objetivos. Posso dizer que ela me ensinou algumas coisas e espero que ensine outras tantas, porque ainda nem temos trinta.

Para finalizar, sempre disse que tenho a maior sorte do mundo por ter os amigos que tenho. Cada um consegue completar tudo aquilo que preciso e que faz parte de mim. Mas hoje, é para a Clau...
E se algum dia, achares que estás sozinha, lembra-te sempre:
"Às vezes para vermos a cores do arco iris, tem de ser à luz da Lua".

Até já, Clau.




1 comentário:

  1. Um texto muito bonito só pode ser escrito por pessoas "bonitas"! Este é uma perfeição, principalmente pelo sentimento, pela emoção, pela amizade, pela partilha, pela cumplicidade, pela Saudade.
    Parabéns e muito obrigado Inês.
    (Continue assim e escreva, muito!)

    ResponderEliminar