Diário d'Inês

segunda-feira, janeiro 14, 2013

Bennie

Querido diário,

Se o meu coelho falasse, iria ser mais ou menos assim:

"Querido diário da minha dona,
"Prazer, sou o coelho Bennie!"

Sou o coelho bennie. Bem orelhudo e felpudo. Adoro comer e adoro a minha dona. Ultimamente, penso que tenho sido um terror, diz ela. No outro dia, chegou uma coisa nova, grande para me porem lá dentro. Era a minha nova casa. Enfiaram-me lá e fui cheirar tudo. Tem uma casota onde eu não me ponho muito, porque o meu rabinho custa a passar nela, então ponho-me em cima dela para ver melhor tudo cá fora. O coiso do feno agora também é novo, quando dou às patas, não consigo tirá-lo tão bem como o outro e faz barulho. Entretanto também roí o coiso novo por onde bebo água, que tinha algo de silicone e pensei que era para brincar. Penso que afinal não era. Chutei aquilo pra fora e fiquei sem água de noite. No outro dia, vi uma cena grande e alta de tecido, pensei subir para lá. Quando subi, caí no vazio dentro de uma cena grande de onde não conseguia sair. A minha dona sentiu-me e tirou-me de lá. Era o cesto da roupa suja, disse ela. Que gigante! Nas férias, fui para casa da avó. Descobri que no sitio onde me deixam durante o dia, consigo ir do sofá para cima da secretária, de onde vejo tudo! Adorei e vou sempre para lá. Não gosto muito quando a minha dona me apanha lá e me pega ao colo. Apanhei lá o telemóvel da minha dona, com uma capa mesmo boa para comer. Comi tudo o que consegui até ela chegar. Ela ficou muito bruta. À noite, fico com ela no quarto. Durmo sossegado debaixo de uma cadeira em cima de um tapete quentinho, também me estico lá todo. Lá em cima, na casa da avó, escorrego muito, o chão é brilhante e deslizo bastante, dizem que é parquet. A minha avó é bem fixe porque me enche de comida, verduras e mimos no focinho. O avô, vem sempre brincar comigo antes de ir deitar. Ah, e há outro elemento. É o Ted, é um uma coisa enorme peluda de boca grande, dizem que é um cão. Não é igual a mim, mas ele adora ver-me. É porque sou fofinho e pequenino. No Natal, como eles lhe chamam, todos recebemos prendas. Tive direito a ir para a sala ver tudo! Ganhei uns biscoitos de fruta! Nessas férias, descobri um canteiro que a minha avó tem que é o paraíso. Comi ervinhas, plantas e uma flor, mas a minha dona não deixou e ralhou sempre. Sou feliz naquele quintal. Voltei para minha casa em Évora. Já nela, estava na cozinha um recipiente novo, tive de ir ver. Quando subi, enfiei-me dentro de água ia morrendo de susto. A minha dona veio socorrer-me. Meteu-me toalhas e levou-me pró sitio onde ela se lava. Lavou-me com uma cena que deita água em repuxo. Tirou-me pra cima de toalhas e secou-me com um coiso que deita calor. O meu dono também apareceu para ver de mim. Senti-me tão bem. Até de patas para o ar eu estava. E estava a ficar cada vez mais seco! Que bom! Depois meteu-me na cama um pouco e deixou eu sair. Fiquei no quarto que estava meio quentinho, só depois fui para o resto da casa. Fiquei como novo! E mais clarinho! Espero não voltar a repetir. Esqueci de contar, quando fui ao médico pela primeira vez. Apanhei uma médica que me adorou e me viu todo. As meninas também eram fixes. Pesaram-me, tenho 1,800kg! Levei uma pica que nem doeu. Depois, tive de levar umas seringadas que disseram que era desparasitante. Detestei. Foram os meus donos que me deram à força. Na segunda ida, não gostei. Não souberam pegar em mim. A médica disse que eu era um grande macho por ter a pilinha grande. Foi ela que disse, juro. Levei a segunda pica mas já não levei com desparasitante. Agora tenho andado calmo. Brinco e corro à volta dos meus donos, peço mimos e sempre que posso cravo comida. Adoro tudo. No outro dia consegui trincar uma maçã. Estiquei-me todo até ao cesto e consegui dar umas trincas. Depois fui apanhado. Também gosto de comer a vassoura que tem borracha à volta. Mas melhor, é aquela porta que se abre e vem frio de lá de dentro, há lá tantas verduras!! Não me deixam comer nada. Resumindo, sou um comilão. Agora bebo água de uma taça grande que encontrei, quando ando solto pela casa. Sabe muito melhor! Não me lembrando de mais nada importante, vou por-me bolinha e dormir a sesta! Até à próxima!"


"Bate aí uma foto miúda!"

"Adoro Aipo!!"

"Descontrair no tapete fofo na casa da avó"

"Sabe tão bem vir até à caminha da dona de manhã!"

"Adoro o quintal!"
"O meu primeiro Natal, a minha primeira prenda! Biscoitos de fruta!"

"Não percebo porque não posso estar em cima da secretária!"
"Dedico a ti, todo o meu tempo extra! Obrigada Orelhudo, por fazeres parte da minha vida. - Inês"

Pronto diário, era mais ou menos isto!

Saudações roídas! ;)

Sem comentários:

Enviar um comentário